Convite de formatura de alunos de escola militar do AM para Bolsonaro gera polêmica

O vídeo convite de formatura de alunos do ensino médio do Colégio Estadual Professor Waldocke Fricke de Lyra, escola militar de Manaus-AM, para Bolsonaro está entre os assuntos mais comentados da semana nas redes sociais.

A mídia foi distribuídao nas redes sociais pelo deputadona sexta-feira (4). Ele diz que se trata de um convite “irrecusável”: “Um exemplo de ensino que deveria ser adotado em todas as escolas públicas do Brasil”.

Por ser o único político de grande expressão que defende a classe militar do país, é obvio que os alunos desejam o seu representante neste momento especial, exercendo o direito de qualquer turma de escolher o seu patrono. Até porque o presidenciável já fez visita à escola no ano passado, por ser considerada uma das melhores do Brasil pela qualidade do seu ensino.

A frase dita pelos alunos em formação em que policiais os fazem chamar Bolsonaro de “salvação dessa nação”, causou revolta nos seus opositores, principalmente os de esquerda.

 

A iniciativa foi classificada de “doutrinação nazifascista de crianças e adolescentes” pelo presidente do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana, Glen Wilde Freitas.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) do Amazonas, que repudiou a gravação do vídeo, disse que acompanha as apurações conduzidas pela PM. A Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (Seduc) também investiga o caso.

COAÇÃO… SIM OU NÃO?!

No momento em que se fala de Escola Sem Partido – sem doutrinações politico-partidárias em ambiente acadêmico – as acusações de doutrinação ideológica militar já se levantam.

Discussão válida! Porém, falta honestidade e argumentos cabais dos que levantam essa hipótese, já que a referida escola é um dos orgulhos dos manauaras.

Não se deve idolatrar político algum, por mais honesto que seja. Hoje os políticos são o problema da nação – sem generalizar.

Duvidar e questionar faz o povo pensar e refletir para não ser enganado mais uma vez.