Maradona declara apoio à ditadura comunista socialista da Venezuela

O ex-jogador argentino Diego Maradona declarou o seu apoio à Nicolás Maduro e se intitulou ‘soldado da revolução bolivariana’, a ditadura comunista socialista assassina que está sendo implantada na Venezuela à custa de muito sangue do povo que se opõe ao ditador. Recentemente, 124 jovens morreram assassinados – apenas que se conseguiu contabilizar – pela militância armada que faz as Forças de Segurança venezuelana.

Após a imposição da Assembléia Constituinte, Maduro agora irá perseguir os prefeitos opositores de varias cidades do país.

“Dieguito”, que mora nos Emirados Árabes, na opressora capitalista Dubai, levando a sua vida luxuosa há milhares de quilômetros de distância da fome, violência e miséria aos quais a Venezuela está submetida, ‘luta contra o imperialismo’. (Oi?!)

“Somos chavistas até a morte. E quando Maduro ordenar, estou vestido de soldado para uma Venezuela livre, para lutar contra o imperialismo e os que desejam apoderar nossas bandeiras, que é o mais sagrado que temos”, escreveu Maradona no Facebook.

Em outro texto ele diz: “Viva Chávez. Viva Maduro. Viva a revolução. Vivam os venezuelanos de pura cepa, não os venezuelanos interessados e envolvidos com a direita” (Morte à todos os envolvidos com a direita?!).

Socialismo para o povo sofrido e escravizado da Venezuela e capitalismo e suas maravilhas de Dubai para Maradona.

A velha e cretina incoerência da esquerda que come caviar com Chandon…